Quinta-feira, 25 de Janeiro de 2018

STRESS

 

 

Com o stress não se brinca, dirão alguns, e na verdade têm razão.

 

É, por si só, capaz de uma destruição muito vasta.

 

Desde as nossas relações até ao que mais queremos, a nossa família, passando pela falta de paciência que se apossessa de nós e nos impede de termos uma vida sossegada e feliz.

 

Pois eu também o sinto.

 

Não que me assole de uma maneira descontrolada, avassaladora, tomba gigantes. Nada disso. É mais uma coisinha que se vai instalando de mansinho, quase imperceptível, que se entranha e de nós se apossessa, vai tomando conta do nosso ser e, de seguida, de tudo o resto.

 

Quando isto acontece, não nos apetece sequer sair da cama, não queremos ver ninguém e muito menos ouvir falar à nossa volta.

 

Às vezes é assim que me sinto.

 

Acontecia-me quando andava assoberbado de trabalho e de responsabilidades, o que não é propriamente o caso neste momento.

 

Por ora, o que sucede é que o stress de que sou afectado se resume a uma espécie recente, a de não fazer nada.

 

Quando se diz “não fazer nada” é claro que nos referimos ao trabalho, aquele que vínhamos fazendo ao longo dos vários anos da nossa vida.

 

Felizmente, para além deste ainda há vida e tenho-a ocupado razoavelmente bem.

 

Infelizmente até somos obrigados a fazer agulha para outros horizontes, não que o queiramos fazer, mas porque a pressão é tão grande, tão animalesca e desumana que, se não contivermos o ímpeto do stress que nos é criado, acabamos por sentir na pele esse estigma tão intenso.

 

A minha forma de o combater é, simplesmente, ignorar todas estas situações vestindo uma couraça de defesa e afastamento das pessoas que me podem fazer mal.

 

Não resolvo o problema de fundo, mas, uma coisa é certa, não quero ser incomodado pelo que outros querem que eu seja.

 

Sem stress.


publicado por: canetadapoesia às 23:08
link do post | comentar | favorito

.Mais sobre mim


. Ver perfil

. Seguir meu perfil

. 15 seguidores

.Pesquisar

 

.Junho 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.Posts recentes

. Orgulho

. 10 de JUNHO

. A república revisitada

. Consoada numa terra dista...

. Finalmente juntos (39º Ca...

. Encontro ao fim da tarde ...

. Num país diferente (37º C...

. Sobrevivência (36º Capítu...

. Evolução na confusão (35º...

. Preocupação (34º Capítulo...

.Arquivos

. Junho 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Julho 2017

. Maio 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Agosto 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Julho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

.Links

SAPO Blogs

.subscrever feeds