Quarta-feira, 31 de Janeiro de 2018

Dois relógios

 

 

Ter dois relógios hoje em dia é uma coisa absolutamente normal, o consumo chama por nós e a publicidade encarrega-se de nos fazer gostar mais de um modelo ou de outro, de uma marca ou de outra, consumismo.

 

Apesar de também ter mais de um, acabo sempre por ter o gosto e o prazer virado para um ou dois que uso em diferentes circunstâncias.

 

Um mais para situações de alguma cerimónia, outro, mais para todos os dias, e nenhum deles é demasiado novo, mas são comprados ao meu gosto, para usar nestas diferentes situações.

 

Mas os dois relógios de que vos falo são diferentes, não têm nada a ver com estes, são relógios que me ligam ao passado, que me recordam pessoas, entes queridos que jamais esquecerei.

 

Um deles pertenceu ao meu avô, não é de ouro nem de prata, é o relógio do meu avô. Grande, pesado, de bolso um Sergine que neste momento tem mais de cem anos. Era o relógio do meu avô e apesar de há muitos anos não funcionar, resolvi tentar pô-lo a trabalhar entregando-o a um relojoeiro para lhe dar todo o tratamento que merece.

 

O outro, um Certina automático de 1938, era do meu pai e seguiu o mesmo caminho para restauro.

 

Ambos têm um valor relativo, têm um valor estimativo, um valor que vai muito além da capacidade económica de alguém os comprar, não estão à venda, e não estão porque não quero vender uma parte de mim.

 

Tiveram a sua época, nasceram numa altura em que as pessoas os compravam para toda a vida, não por motivos fúteis, como andar na moda.

 

Serviram para marcar a passagem das horas, a passagem do tempo.

 

Agora servem para marcar a saudade, aquela falta que sentimos dos que nos são queridos e partiram já, há muito.

 

Os relógios do meu avô e do meu pai.

 

Tenho por eles uma enorme ternura e guardo-os religiosamente, mesmo que nada valham, mesmo que não sejam de ouro, mas, são claramente relógios de uma grande e eterna saudade.


publicado por: canetadapoesia às 23:47
link do post | comentar | favorito

.Mais sobre mim


. Ver perfil

. Seguir meu perfil

. 15 seguidores

.Pesquisar

 

.Abril 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
28

29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.Posts recentes

. A república revisitada

. Consoada numa terra dista...

. Finalmente juntos (39º Ca...

. Encontro ao fim da tarde ...

. Num país diferente (37º C...

. Sobrevivência (36º Capítu...

. Evolução na confusão (35º...

. Preocupação (34º Capítulo...

. E agora? Que fazer? (33º ...

. Uma oferta excepcional (3...

.Arquivos

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Julho 2017

. Maio 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Agosto 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Julho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

.Links

SAPO Blogs

.subscrever feeds