Quarta-feira, 16 de Outubro de 2013

Social-democracia

 

A social-democracia é uma ideologia política de esquerda que surgiu no fim do século XIX por partidários do marxismo que acreditavam que a transição para uma sociedade, dita, socialista poderia ocorrer sem ser através de uma revolução, mas, antes, por meio de uma evolução.

 

A ideologia social-democrata defende uma gradual reforma legislativa do sistema capitalista a fim de o tornar mais igualitário, geralmente tendo como meta uma sociedade socialista.

 

O conceito de social-democracia tem vindo a mudar com o passar das décadas desde a sua introdução, no entanto, a diferença fundamental entre a social-democracia e outras formas de socialismo, como o marxismo ortodoxo, encontra-se na crença da supremacia da acção política contrastando, assim, com a supremacia da acção económica ou determinismo económico sócio industrial. Isto ocorre desde o século XIX.

 

Historicamente, os partidos social-democratas advogaram o socialismo de maneira estrita, a ser atingido através da luta de classes. No início do século XX, entretanto, vários partidos socialistas começaram a rejeitar a revolução e outras ideias tradicionais do marxismo como a luta de classes, e passaram a adquirir posições mais moderadas. Essas posições mais moderadas incluíram uma crença de que o reformismo era uma maneira possível de atingir o socialismo.

 

No entanto, a social-democracia moderna desviou-se do socialismo, gerando adeptos da ideia de um Estado de bem-estar social democrático, incorporando elementos tanto do socialismo como do capitalismo. Os sociais-democratas tentam reformar o capitalismo democraticamente através de regulação estatal e da criação de programas que diminuem ou eliminem as injustiças sociais inerentes ao capitalismo, tais como programas de subsídios ou abonos.

 

Esta abordagem difere significativamente do socialismo tradicional, que tem como objectivo substituir o sistema capitalista inteiramente por um novo sistema económico caracterizado pela propriedade colectiva dos meios de produção pelos trabalhadores.

 

Actualmente em vários países, os sociais-democratas actuam em conjunto com os socialistas democráticos, que, no espectro político, se situam à esquerda da social-democracia. Os dois movimentos podem, por vezes, encontrar-se dentro do mesmo partido político.

 

Alguns partidos sociais-democratas, começaram a agir dentro de políticas económicas neoliberais, originando o que foi caracterizado por "Terceira Via” (Giddens). Isto gerou, além de grande controvérsia, uma grave crise de identidade entre os membros e eleitores desses partidos. Ainda hoje, talvez mais ainda que outrora, se mantém esta controvérsia e esta crise de identidade.

 

A situação em Portugal, caracteriza-se pela Internacional Socialista ter como representante o Partido Socialista. Não obstante, existir o Partido Social Democrata, que tem, ultimamente, tido um posicionamento de centro-direita, mas esteve, originariamente, pela acção de Francisco Sá Carneiro, em vários contactos internacionais, destinado a integrar-se na Internacional Socialista e, consequentemente, no Partido Socialista Europeu, para, assim, se alicerçar, a sua natureza de partido reformista, social-democrata e europeísta.

 

Quando foi criado em 1974, o então PPD pretendeu a integração na Internacional Socialista, mas, a influência de veto do PS impediu esse reconhecimento, visto que o Partido Socialista (PS) foi sintomaticamente fundado na Alemanha em 1973, apadrinhado pelo Partido Social Democrata alemão, arrogando-se de ter mais fortes vínculos com a Internacional Socialista do que o PSD, apesar de Francisco Sá Carneiro se ter empenhado na afirmação do PSD como a representação mais forte da social-democracia em Portugal.

 

Torna-se, de facto, paradoxal, que o PSD, na actualidade, um partido de natureza social-democrata e com carácter não confessional, que foi fundado por alguns republicanos «históricos», continuar filiado, a nível internacional, em estruturas partidárias com carácter cristão, liberal e conservador, visto que, a verdadeira identidade do PSD, se opõe às concepções políticas defendidas pelo liberalismo clássico e pelo conservadorismo: os princípios fundamentais do PSD, quer no plano programático, quer ao nível das políticas concretas, só o tornam verdadeiro PSD quando é fiel à sua matriz política e ideológica – um partido personalista, reformista, humanista e social-democrata.

 

A gestão neutra da comunidade, alheia a preocupações de solidariedade e a valores colectivos, ameaça a dignidade de cada pessoa, não é suficiente para enfrentar assimetrias graves, gera novas desigualdades e situações de pobreza e marginalização, ferindo os princípios fundamentais da justiça e da solidariedade.

 

O PSD repudia os modelos políticos que defendem privilégios de classe, que sobrevalorizam a eficácia e a confiança cega no mercado, levando ao triunfo do mais forte e de estruturas hierarquizadas e elitistas da sociedade. Tais modelos introduzem rupturas no tecido social e destroem na prática qualquer possibilidade de uma efectiva igualdade de oportunidades e de uma verdadeira solidariedade social. Também não subscreve posições conservadoras, avessas à mudança cultural, social e económica, ao enfrentar de novos desafios e à superação de quadros rígidos de afirmação pública, social e administrativa com que as sociedades modernas são confrontadas.

 

Isto é a social-democracia que se pretende regresse às origens do PSD para que deixe de confundir os verdadeiros social-democratas e termine de vez a controvérsia de identidade.


publicado por: canetadapoesia às 22:09
link do post | comentar | favorito

.Mais sobre mim


. Ver perfil

. Seguir meu perfil

. 15 seguidores

.Pesquisar

 

.Junho 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.Posts recentes

. Orgulho

. 10 de JUNHO

. A república revisitada

. Consoada numa terra dista...

. Finalmente juntos (39º Ca...

. Encontro ao fim da tarde ...

. Num país diferente (37º C...

. Sobrevivência (36º Capítu...

. Evolução na confusão (35º...

. Preocupação (34º Capítulo...

.Arquivos

. Junho 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Julho 2017

. Maio 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Agosto 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Julho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

.Links

SAPO Blogs

.subscrever feeds