Quinta-feira, 30 de Novembro de 2017

Um Homem.


 



 



Na verdade, como tantos outros, também estou farto destas homenagens póstumas a um homem que afinal, era só um homem!



 



Com todas as peculiaridades de cada um, e com as características que o consagraram, era só um homem e chamava-se Belmiro!



 



Que se vai embora de nós, mas que fica e deixa obra que, se alguns contestam, outros afiançam como boa, são opiniões como ele gostava, diversas, diferentes mas opiniões livres!



 



Nesta modesta escrituração lhe presto a homenagem, sem mais acrescentar, porque mais palavras são desnecessárias para o Homem, agora com "H" dos grandes que, apesar das polémicas nunca deixou de o ser!



 



Era do norte, mas era sobretudo, de norte a sul, era português e como tal, porque quando morre um homem morre um português e um pouco de nós também, aqui ficam as minhas condolências à família do que foi um símbolo do empreendimento Nacional!



 



Goste-se ou não, assim o considero, um Homem!



 



PS: Um dia, quando as coisas acalmarem, ainda conto a minha fugaz passagem por este Homem.


publicado por: canetadapoesia às 16:26
link do post | comentar | favorito
Domingo, 26 de Novembro de 2017

RELAÇÃO CONFLITUOSA

 

 

 

Estávamos assim, ele sossegado no seu canto e eu passando por ele sem dar parte da sua existência!

 

Sabia que um dia íamos ter de resolver esta relação a dois que se estava a tornar cada vez mais tensa, achava mesmo que um dia ia perder a cabeça e chegar a vias de facto com tal figurante.

 

E não é que esse dia chegou mesmo?

 

Passei por ele e pensei com os meus botões, não passa de hoje, vai ser agora que resolvemos esta diferença de opiniões, este distanciamento que só nos trás amargurados. Se bem o pensei melhor o executei!

 

Fui-me a ele, aproximei-me de mansinho, ainda com algum receio de lhe por a mão em cima, mas decidido a não deixar que passasse mais um dia sobre o assunto.

 

Utilizei até água de rosas, para que nos momentos mais quentes, quando se soltassem os vapores, não subsistisse nenhum aroma desagradável. Agarrei-o pela parte que ele mais detestava, manietei-o com a destreza que a minha mão direita possuía e ele ali ficou, estático e expectante, enquanto com a mão esquerda manietava a coisa de forma a manter tudo sob controlo. ! Dominei-o, aqueci-o e depois… foi só fazê-lo deslizar!

 

 

Lá fomos evoluindo os dois… e eram calças e camisas, boxers e T-shirts além de outras roupas, desnecessárias no momento em que nos envolvíamos com, diria eu, êxtase absoluto, mas essenciais ao futuro da nossa relação.

 

Passava a mãozinha esquerda e alisava o pêlo da coisa para que, com a direita que o sujeitava, conseguisse atingir o meu objectivo. Foi um tempo limitado, mas que me pareceu uma eternidade! Que satisfação, que prazer, finalmente tinha conseguido atrever-me e consumar o que me parecia uma impossibilidade, dominando-o e sujeitando-o à minha vontade, a vontade férrea e quase animal do macho dominante!

 

Doravante, jamais se atreverá a contradizer-me ou sequer a recusar a minha exigência de, sobre ele, exercer toda a minha vontade! Sou o “alfa”, o que domina e determina a forma como as coisas se devem fazer, quando e em que medida!

 

Finalmente, passadas umas horas, noblesse oblige, lá terminámos a refrega e na verdade, nem foi muito difícil.

Não há ferro de engomar que me atemorize e nem me deixarei menorizar face a qualquer concorrência na sua dominação!

 

Consegui, pois, passar a roupa que necessitava de urgente atenção e deixei de olhar de lado ou mesmo de fugir do ferro de engomar!

 

Luis Filipe Carvalho


publicado por: canetadapoesia às 01:16
link do post | comentar | favorito

.Mais sobre mim


. Ver perfil

. Seguir meu perfil

. 15 seguidores

.Pesquisar

 

.Junho 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.Posts recentes

. Orgulho

. 10 de JUNHO

. A república revisitada

. Consoada numa terra dista...

. Finalmente juntos (39º Ca...

. Encontro ao fim da tarde ...

. Num país diferente (37º C...

. Sobrevivência (36º Capítu...

. Evolução na confusão (35º...

. Preocupação (34º Capítulo...

.Arquivos

. Junho 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Julho 2017

. Maio 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Agosto 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Julho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

.Links

SAPO Blogs

.subscrever feeds